Sobrepeso e Obesidade

Este teste traça um perfil genético associado ao sobrepeso e à obesidade, predisposição para o diabetes tipo II e doenças cardiovasculares. Seis variantes genéticas em cinco genes (PPARg, APOA5, ADRB3, MC4R e FTO) que conferem uma predisposição aumentada de desenvolver sobrepeso e obesidade são analisadas. Os genes da obesidade podem exercer os seus efeitos das seguintes formas:

 

– Alterando o controle da saciedade: os genes MC4R (receptor da melanocortina 4) e FTO (Fat Mass and Obesity Associated) estão expressos no hipotálamo e regulam a homeostase energética através do controle do apetite. Estudos demonstram que as variações encontradas nesses genes estão diretamente relacionadas com um maior acúmulo de gordura corporal, a uma postura de consumir alimentos com alta densidade energética, ao maior risco para obesidade, predisposição ao diabetes mellitus tipo 2 e maior incidência de obesidade infantil;

– Regulando o metabolismo de lipídios: a apoliproteína A5 está diretamente envolvida no transporte e regulação da concentração de triglicérides do plasma. Os polimorfismos no gene APOA5 estão relacionados ao metabolismo lipídico mais lento, ao aumento do risco para doença coronariana e para aterosclerose e à hiperlipidemia familiar;

– Alterando os gastos energéticos do organismo e a forma como o organismo processa os nutrientes: o gene ADRB3 afeta principalmente a lipólise e suas variantes vem sendo associadas à síndrome metabólica e à obesidade, predisposição para hiperuricemia (risco 3 vezes maior) e aumento do risco para doença coronariana em mulheres;

– Alterando a adipogênese e o metabolismo dos adipócitos: o gene PPARg desempenha vários papéis funcionais em diferentes órgãos e tecidos, onde atua de maneira crítica na regulação da diferenciação dos adipócitos e promoção de acúmulo de lípidios no tecido adiposo. Basicamente, este gene promove o armazenamento de gordura, influencia a sensibilidade à insulina e, consequentemente, a captação de glicose no tecido adiposo e músculo esquelético. A mutação mais encontrada na proteína PPARg é a Pro12Ala que tem sido associado com a redução do peso e com a melhora da sensibilidade à insulina, conferindo um efeito protetor para o desenvolvimento do diabetes tipo 2.

 

Este perfil auxilia o médico a individualizar o tratamento após o diagnóstico clínico de sobrepeso e obesidade. Desta maneira, o médico ou profissional de saúde poderá adaptar a dieta, as atividades físicas ou o tratamento adequado para que o indivíduo gerencie o seu peso e comorbidades com mais eficiência.

 

Metodologia:

Isolamento do DNA genômico de leucócitos. Amplificação por PCR e minisequenciamento das regiões de DNA associadas à obesidade, presentes nos genes PPARg, APOA5, ADRB3, MC4R e FTO (seis variantes são analisados).

 

Coleta:

Para realizar o exame é necessária a coleta de sangue periférico ou de saliva em coletor especial (deve ser requisitado à Genomic).

 

Prazos:

Os resultados são enviados em 15 dias úteis, contados a partir da data do recebimento do material.

 

Para maiores informações e valores entre em contato com a Genomic.