História

Em 1991, a Genomic Engenharia Molecular foi fundada na cidade de São Paulo por um médico geneticista, Prof. Dr. Martin Ritter Whittle, um biólogo molecular, Prof. Dr. Fernando de Castro Reinach, e dois administradores de empresa.

Desde sua criação, a Genomic atua na realização de exames de DNA, voltada principalmente à investigação de vínculo genético de filiação, aconselhamento genético e na detecção precoce de propensões a doenças. Já foram realizados mais de 100 mil exames e possui cerca de 1.100 laboratórios credenciados. A Genomic aplica os conhecimentos e técnicas de engenharia genética na solução de problemas em medicina humana e veterinária. O modelo de negócio da empresa teve como foco a exploração de diferentes aplicações da técnica de amplificação de ácidos nucléicos, sendo pioneira com a Fiocruz, o Hospital Albert Einstein e a Embrabio.

No segmento de perícias pagas pelo Poder Público, detém contratos licitatórios para realização de exames em diferentes Estados da República. Utilizando o conhecimento de nossos colaboradores biólogos, bioquímicos e biomédicos, somos responsáveis pelo desenvolvimento, padronização e implementação dos protocolos realizados.

  • 1991

    O primeiro processo desenvolvido foi um sistema PCR multiplex, que permite o uso de vários microssatélites de DNA (short tandem repeats – STRs) de tamanhos diferentes para estudos de vínculo genético de filiação. A automação dos exames empregando sequenciadores automáticos de DNA e primers fluorescentes veio em seguida. Após a regulamentação da nomenclatura para esse sistema, kits de PCR multiplex tornaram-se disponíveis comercialmente, sendo que a última versão envolve amplificação de 15 locos autossômicos. Na prática, este número é insuficiente para os testes de vínculo genético. O nosso multiplex amplifica 21 locos.
  • 1995

    Tendo como mercado-alvo laboratórios em todo Brasil, a disseminação e padronização das coletas para o exame eram fundamentais. Um kit que permite a coleta do sangue através de uma picada no dedo, utilizando um papel especial que conserva o material genético, foi desenvolvido. Ele é inviolável e possui características de segurança como lacre e numeração rastreada. Foi copiado, com a permissão da empresa, por concorrentes e pelo IMESC do Estado de São Paulo, tornando-se um novo paradigma para o mercado.
  • 1996

    Na área de TI foi desenvolvido um programa para atender os laboratórios credenciados e compartilhar a responsabilidade do sigilo das informações, transformando a cadeia de custódia do exame ininterrupta. Eventuais não conformidades observadas são comunicadas antes do registro das amostras e início dos trabalhos. O responsável técnico pela coleta e identificação, não é o mesmo que realiza a perícia. Este último não tem acesso aos nomes dos periciandos. Quando concluída a perícia no laboratório, há a emissão dos resultados e os responsáveis pela finalização dos laudos passam a ser a área administrativa.
  • 1997

    Desenvolvimento do exame de detecção da mutação C1843T no gene halotano (RYR1) em porcos, correlacionada com a Síndrome do Estresse Suíno (PSS). A licença para comercialização foi adquirida, uma vez que é marca registrada pela Innovations Foundation de Toronto-Canadá.
  • 1998

    Introdução dos marcadores genéticos de propensão a moléstias como câncer de mama (genes BRCA1 e 2), trombose venosa profunda (genes da protrombina e fator V Leiden), doenças coronarianas (genes APOE, MTHFR, ACE), deficiência da enzima 21-hidroxilase em Hiperplasia Adrenal Congênita e identificação da doença do Rim Policístico (gene PKD1), dentre outros que podem auxiliar a clínica médica na adoção de medidas terapêuticas mais indicadas.
  • 2000

    Estudo das mutações dos genes da protease e transcriptase reversa relacionadas à resistência do vírus HIV1.
  • 2001

    Na vanguarda da área forense, a introdução de novas ferramentas como análise do cromossomo Y é utilizada em casos de estupro. Ainda em 2001, construiu seu know-how em cálculos de probabilidade de vínculo genético. Fez parceria com um grupo de Matemáticos e Estatísticos (IME-USP), consultores da Supremum e com o apoio da FAPESP, desenvolveu um website http://www.genomicalc.com.br que disponibiliza diferentes cálculos estatísticos: cálculo de equilíbrio Hardy-Weinberg (feitos a partir de uma base de dados da população brasileira, como frequências alélicas e gênicas da Genomic ou o usuário pode empregar seu próprio banco de dados); cálculos de probabilidade de paternidade (de trios e duos) e cálculos de probabilidade de paternidade em casos complexos com ausência de indivíduos, usando redes Bayesianas.
  • 2002

    Disponibilizou serviço de purificação, quantificação e sequenciamento de DNA.
  • 2003

    Consolidada análise de DNA mitocondrial que permite identificar materiais muito antigos ou putrefatos.
  • 2004

    Padronização de testes qualitativos e quantitativos para diferentes alvos com emprego da técnica de PCR em tempo real.
  • 2006

    Implantação de forma pioneira no Brasil do Diagnóstico Genético Pré-Implantação (PGD). Esta é uma técnica sofisticada e precoce de diagnóstico pré-natal de alta tecnologia. Visa identificar embriões portadores de desordens genéticas, como fibrose cística, atrofia espinhal progressiva, doença de Machado-Joseph, doença de Von Hippel-Lindau e outras. Em menos de 24 horas, uma única célula do embrião é analisada, diagnosticada e apenas os embriões saudáveis são transferidos para o útero materno. Em 2006, foi vencedora da licitação feita pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos para Criação do Banco de DNA dos Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos Brasileiros.
  • 2007

    Desenvolvimento de dois padrões internos de peso molecular distintos (GemRox-511 e GemDyc-512), cuja finalidade é indicar os diferentes tamanhos de fragmentos, sendo exigido durante a técnica de eletroforese de moléculas fluorescentes de DNA.
  • 2009

    Constante melhoria na área forense inclui a quantificação de DNA humano e análise de polimorfismos de nucleotídeo único (SNPs) e os polimorfismos de inserção ou deleção de um ou mais nucleotídeos (Indels).